Como “fazer” o seu site?

Meu objetivo neste post não é dar dicas para web designers ou passar uma “receita de bolo” para você aprender fazer seu site sozinho. As dicas aqui são para aqueles que querem fazer um site para o seu negócio e não conhecem muito bem como funciona o processo. A ideia é que você, antes de contratar um web designer ou uma empresa, se prepare para que essa experiência não seja um transtorno ou um completo desastre. Sei que você não quer perder muito tempo com isso, então vamos direto ao ponto.

Registre seu domínio

Em primeiro lugar você deve escolher um nome de domínio para o seu site, aquele endereço que você escreve no browser para acessar o site. Muitas pessoas e empresas, por não “entender disso“, delegam essa responsabilidade para o web designer ou para a agência que contratou para fazer o site, mas isso é uma péssima decisão. O domínio é o endereço do seu negócio e da sua marca na web,  e por isso deve ser registrado com o seu CNPJ ou CPF e em seu nome! Isso significa que se o web designer registrar o domínio no CPF dele, por desconhecimento ou má fé, o domínio não será seu.

Então, em primeiro lugar faça seu cadastro no Registro.br (órgão responsável pelas atividades de registro e manutenção dos nomes de domínios que usam o .br). É simples, rápido e depois disso você vai poder registrar o seu domínio. Mas vamos com calma… Para registrar o domínio você vai precisar informar ao Registro.br aonde vai hospedar esse domínio (os endereços DNS), então não registre ainda o domínio, faça apenas o cadastro!

Escolha uma assessoria

Para os próximos passos é provável que você precise de uma assessoria. Pode ser uma empresa ou um profissional com experiência para te assessorar na criação do site, na contratação de um provedor de hospedagem, e para te informar sobre todos os recursos que você vai ter à disposição além do próprio site.

Quando digo “assessorar na criação do site” significa isso mesmo! Um site não é criado apenas por um web designer. Você ou alguém que conheça bem o seu negócio deve participar ativamente na criação do site! O web designer é apenas o profissional que vai “traduzir” aquilo que você quer para uma outra “linguagem”, uma linguagem visual. O próprio nome já indica qual é a função dele: design! Ele é o responsável pela programação visual do seu site e pela implementação das ferramentas necessárias.

Mas um site não é apenas visual… Um site é feito basicamente de:

Plataforma de programação e criação que permita a visualização do site em computadores desktop, notebooks, tablets e celulares;

Imagens (fotos, ícones, logomarca etc) com boa definição, “leves” e pertinentes ao seu negócio;

Textos que informem de forma clara os objetivos do seu negócio ao seu público alvo.

Neste ponto você terá que fazer uma escolha:

  • Contratar um profissional que, além de dominar a técnica da criação em si e seja criativo, saiba tratar profissionalmente as imagens e escrever com correção e adequação ao seu público, ou
  • Contratar uma empresa que tenha profissionais para cada uma dessas funções.

Sua escolha obviamente vai fazer diferença no preço. Mas minha sugestão é que contrate uma empresa, e vou te dar dois motivos:

Compromisso – Uma empresa não vai sumir do mapa quando você precisar.

Qualidade – Uma empresa se compromete com a qualidade, pois criar e gerenciar sites é o seu negócio e não um “bico”.

Mas independente da sua escolha, o próximo passo será a contratação de um provedor de hospedagem.

Informe-se sobre hospedagem

Você já escolheu um nome de domínio, já se cadastro no Registro.br e contratou uma assessoria (uma empresa ou um web designer). E agora está se perguntando: “Aonde vou hospedar meu site? Como eu faço isso?“. O melhor caminho é conversar com o profissional que vai te ajudar nesse processo. Mas vou te passar algumas dicas básicas:

  1. Desconfie de preços baixos! Uma boa empresa (provedor) de hospedagem não oferece apenas espaço, mas um bom suporte. Imagine a dor de cabeça se o seu site “sair do ar” numa sexta-feira à noite e você não conseguir falar com o suporte!

Hospedar no Brasil não é sinônimo de velocidade ou qualidade! A velocidade de acesso ao seu site não depende de proximidade, e sim da qualidade e da manutenção dos servidores (computadores) onde estão hospedados, além de outros fatores técnicos.

Hospedar em grandes empresas não é sinônimo de qualidade! Avalie como a empresa se relaciona com o cliente! Veja a reputação dela em sites como o ReclameAqui, verifique os meios de contato que ela disponibiliza e os horários de atendimento.

Mesmo que você delegue a função de escolher um provedor de hospedagem para a assessoria que contratou, não se esqueça que o site e o domínio são seus! É você quem vai pagar o domínio e o provedor de hospedagem. O seu assessor (ou web designer) pode fazer o “trabalho chato” pra você, mas ele deve te passar login e senha do painel de controle que o provedor disponibiliza, e te explicar sobre todos os recursos que são oferecidos além do espaço para hospedagem. Normalmente os provedores disponibilizam contas de email, direcionamento de email, resposta automática de emails, webmail, ferramentas de estatísticas de acesso etc.

Agora sim você pode partir para a criação!

Pense no site que quer criar

Antes de partir para a criação do site, você deve pensar um pouco sobre o que deseja. O seu assessor vai precisar de algumas informações que talvez você ainda não tenha refletido:

Quais os objetivos do site? Apenas expor seus produtos e serviços? Mostrar seus trabalhos realizados? Criar uma loja virtual ou um catálogo online? Ou ter apenas uma página para te encontrarem através do Google?

Qual o diferencial do seu negócio? O que faz o seu negócio se diferenciar dos concorrentes? O atendimento personalizado, a qualidade dos produtos, a velocidade de atendimento, o preço baixo?

Qual o seu público alvo? Qual o perfil dos visitantes que você deseja alcançar? Lembre-se que a internet é uma rede mundial! Você quer atingir o mundo todo, o mercado nacional ou apenas mercado local?

Qual o padrão visual que reflete seu negócio? Pense novamente em seu público alvo. Seus visitantes esperam ver um perfil visual mais técnico ou mais artístico, com muitas ou poucas imagens? Quais as cores que você associa ao seu negócio?

Além de tudo isso seu assessor vai precisar de várias outras informações, mas o principal ingrediente do seu site será o conteúdo!

Reflita sobre o conteúdo

Chegamos ao ponto mais importante, o conteúdo do seu site! Tenha em mente que ninguém volta ao seu site por que ele é bonito, mas porque lá ele encontra o que deseja: informação. O conteúdo do seu site é o item mais importante, e por isso você deve ser extremamente cauteloso na criação com relação a este item.

Saiba que seu cliente entrará em seu site, não apenas para conhecer sua empresa e comprar produtos ou serviços. Muitas vezes o visitante deseja comparar características de produtos e serviços e se esta informação estiver fácil para ele, ponto para você! Não deixe de detalhar bem aquilo que você está oferecendo! Mas não estou dizendo que deve escrever muito! Entre escrever muito e escrever bem, fique com a segunda opção!

Mais importante do que ter muito conteúdo é ter um conteúdo de qualidade, então escreva, revise e reescreva quantas vezes for necessário. Acredite, esta é uma dica importantíssima! Fazer um site não é difícil, mas prender a atenção do visitante é um grande desafio! Fazer o visitante gastar alguns minutos em seu site faz parte da estratégia para fazer seu site ser eficiente!

Espero ter te ajudado, mas se ainda tiver alguma dúvida fique à vontade para entrar em contato! Será um prazer respondê-lo!